Este texto pretendeu servir de resumo introdutivo à boa governança democrática. Os argumentos para uma governança democrática e participada têm origem nos resultados de um modelo de governação legitimo, mas menos participado. Os argumentos apresentados defendem que a democracia participativa é uma forma de aproximação das decisões dos governantes aos interesses da maioria dos governados.

É dado como exemplo da democracia participativa o orçamento participativo municipal, com especial atenção para o orçamento participativo de Porto Alegre.

Direito e Cidadania: Democracia e Participação

Tagged with:
 

Adoro esta combinação de sabores tipicamente mediterrânea do azeite e das alcaparras, e vai muito bem com o peixe!

Ingredientes:

  • 8 tranches ( mimos ) de pescada ( usei congelados )
  • Vinho branco, azeite, sal e pimenta q.b.
  • 1 molho de grelos
  • Couscous
  • Para o molho:
    • 1 colher sopa de Maionese
    • 1 colher chá de azeite
    • 4 colheres de sopa de Natas
    • 1 colher de chá de Mostarda
    • 1 colher de sopa de Alcaparras

Preparação:
Tempere o peixe com sal e pimenta sem o descongelar. Tape o fundo de uma frigideira anti-aderente com azeite, disponha as tranches e regue com um pouco de vinho branco. Deixe cozinhar em lume brando cerca de 15 minutos, virando a meio da cozedura, 2/3 minutos antes de desligar o lume junte as alcaparras e a salsa picada. Salteie os grelos em azeite e alho picado, temperados com sal e pimenta, em lume brando por aproximadamente 10 minutos.

O molho é uma variação de outra receita. Em lugar de manteiga, experimente colocar o azeite num tacho sem deixar ferver. Junte os restantes ingredientes com uma pitada de sal em lume brando até engrossar e sirva com as alcaparras.

Sirva tudo com os couscous e bom proveito!

Tagged with:
 
Lombo de peixe com molho de mostarda e alcaparras

Lombo de peixe com molho de mostarda e alcaparras

Sempre que faço peixe cozido penso numa forma de o tornar menos aborrecido e minimamente interessante e saboroso. Ora, aqui vai uma!

Ingredientes:

  • 4 filetes de peixe ( usei filetes de peixe riscado congeladas )
  • Batatas
  • Brócolos
  • Para o molho:
    • 1 colher sopa de Maionese
    • 1 colher chá de Manteiga
    • 4 colheres de sopa de Natas
    • 1 colher de chá de Mostarda
    • 1 colher de sopa de Alcaparras
  • Sal e pimenta q.b.

Preparação:

Coza os filetes em água temperada com sal, só deve pôr o peixe na água quando está já estiver a ferver para que não se desfaça, durante aproximadamente 5 minutos ou até que este abra em lascas.
Coza também, mas separadamente, as batatas em água temperada com sal e, uns 5 minutos antes de estarem prontas junte os brócolos. Coloque sempre os brócolos na água com os “pés” para baixo para que estes fiquem inteiros e não desfeitos.

Para o molho, derreta a manteiga num tacho sem deixar ferver. Junte os restantes ingredientes com uma pitada de sal em lume brando até engrossar e sirva com as alcaparras.

Tagged with:
 

Em 2011 fiz umas notas, uns “escritos a negro”, que decidi hoje publicar. Umas notas enigmáticas que escrevi sem qualquer intenção de as publicar por não me querer explicar ou justificar. Ocorreu-me escrever umas notas sobre um panorama de custos e guerrinhas com websites nas instituições públicas e empresas nacionais, mas nada do que escrevi tinha o mesmo significado que para mim quando lido por outros.

Como um cacófaton ou um haiku, limitei-me a escrever as palavras como chegaram às teclas, sem editar ou verificar se fariam sentido a quem as lesse. Hoje achei que faria ainda sentido publicar para que as pessoas leiam a razão porque não quero saber mais desta coisa dos “websites“.

Tenho más noticias para vocês todos: o salvador não morreu para vos deixar salvar a humanidade com o vosso site.

O vosso site, mais o seu design “BUNITU!” (sim, com um ponto de exclamação) não vão salvar o mundo.

As vossas visitas vezes mil não são tão importantes como a fome no mundo.

O vosso design não é nada de novo, aliás até já tinha saído de moda quando ainda o vosso site não estava no ar.

Uma mão cheia de nada que não serve a ninguém.

Amigável.

Apelativo.

Mais claro.

Interativo.