Monthly Archives: Maio 2002

Primeira vez

A minha primeira experiência sexual nada teve a ver com as que para aí se descrevem nos romances de cordel. Pensando bem, nos romances de cordel, nunca é a primeira experiência do homem, mas sempre da mulher, como se os homens, por não terem hímen, nascessem já com toda a experiência carnal, conhecedores do felatio e sabedores do cuninlingus. Imaginam as virgens, talvez, que os … Continue reading Primeira vez »

A Oeste nada de novo.

Pelo caminho muitas coisas mudaram, muitos acontecimentos se deram. Caíu a ponte, o Ministro e o governo, cada qual pela sua razão. A ponte caíu porque os ministros não gerem os seus ministérios e institutos com a devida firmeza; o ministro porque precisava de renovar a sua imagem até às próximas legislativas; o governo porque Portugal esquece tudo menos a arrogância. Dificilmente poderemos esquecer também … Continue reading A Oeste nada de novo. »

Mãe, dá-me euros!

Cada nota que observo, mais me dá a sensação que acordei por engano no estrangeiro, em alguma ex-república soviética com o nome acabado em “”ão””. A causa disto é dos caracteres cirílicos e das ilustrações fantásticas. Para onde foi o nosso criativo Bocage? E o cobardolas do Pessoa? Onde foram imprimir as faces dos nossos navegadores? O nosso escudo era tão enganador como elogios de … Continue reading Mãe, dá-me euros! »