E agora, Senhor Pedro Passos Coelho?

Pedro Passos Coelho já não está em estado de graça, mas não está certamente no mesmo estado que se encontrava Manuela Ferreira Leite em Março de 2009.

As subidas nas sondagens pararam ao fim de alguma actividade e Marcelo Rebelo de Sousa já deu a primeira alfinetada na sua direcção:

“Só se estiverem loucos”, disse. “Aliás, eu já acho um bocadinho de loucura aquela conversa que ouvi há dois dias, que era um vice-presidente do PSD a dizer assim: mostrem lá o Orçamento até 9 de Setembro, que é a data em que termina o prazo para o Presidente dissolver [o Parlamento], para nós sabermos como é que votamos e saber se o Presidente deve dissolver ou não”, disse o comentador social-democrata.

Os apoiantes e detractores já se aperceberam que a estratégia de contacto diário com media tem efeitos secundários e o tempo escasseia também devido a esses efeitos.

A decisão do Presidente da Republica está datada e não estão reunidas as condições de a 9 de Setembro derrubar o Governo por esta via:

  • Não tem nada de palpável para levar ao PR;
  • Não garante maioria absoluta.

Está instalado o pânico. Com prazo tão curto, basta ao governo PS não fazer nada e nada dizer. Por isso a culpa é agora do sistema, que tem normas sujas e indignas por serem meramente Administrativas.

Pois… A culpa é do sistema, que nada deixou à arbitrariedade do árbitro.

3 thoughts on “E agora, Senhor Pedro Passos Coelho?”

  1. Álvaro Ferro

    Oh Anónimo, isto é QUASE Copy Paste do comentário do último post, senão tinha sido apanhado pela máquina de mastigar Form Spam do WordPress. :o)

  2. Pingback: Passos Coelho e os factos sobre a exposição mediática | Simplifique

Deixar uma resposta