Sobre os jornalistas, a água engarrafa e os jarros de vidro de 4680 euros

No dia 21 de Fevereiro de 2012 às 16:19 o Publico apresentava um artigo dos jornalistas Ricardo Garcia e Nicolau Ferreira sobre a recusa da substituição da água engarrafada por água da torneira. O meu entendimento é que houve falta de verificação de dados, apresentando como factos algo que nunca existiu.

Este artigo foi corrigido às 20h39 de 23 de Fevereiro por, pois, tal como o URL indica, não se tratavam de valores 30 vezes superiores, mas de 10 vezes superiores.

A minha dificuldade está em encontrar a informação que os senhores jornalistas utilizaram como base do seu artigo, primeiro porque o próprio deputado Pedro Farmhouse e o lider do seu grupo parlamentar ainda não responderam ao meu pedido de indicação de onde pode ser lida a proposta e segundo porque o próprio artigo refere uma proposta que o próprio site da Assembleia da Republica não apresenta.

Também as minhas tentativas de obter os dados relativos ao estudo referido pelo parecer da Assembleia da Republica se têm mostrado infrutíferas porque esta Administração também não responde aos meus pedidos.

É meu entendimento que os jornalistas tiveram acesso a uma informação que ou era pública, mas não foi tornada pública, ou se dirigiu exclusivamente a jornalistas, tendo o jornal publicado esta informação sem a verificar, o que a correção a que se viram obrigados sugere.

Também é meu entendimento que os jornalistas deveriam verificar os romances que lhes são entregues como factos antes de os apresentarem como tal, principalmente se vindos de forças políticas em disputa e que tentam a todo o custo controlar a disponibilidade mediática dos leitores com contra-informação que mais não serve do que cortina de fumo para os temas mais relevantes.

(Este texto seguiu para o Provedor do Leitor do Publico, a quem pedi que informasse onde podem ser lidos os dados e os racionais que apoiaram as afirmações do relato feito pelos jornalistas do Público)

Deixar uma resposta